segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

Descobri a origem do meu mau estar. Sou intolerante ao arroz

A Mª Fernanda Ferreira quis partilhar os seus resultados uma vez que os alimentos aos quais é mais intolerante são ingeridos pela maioria das pessoas. 
A Fernanda descobriu ter uma intolerância muito grande ao arroz branco e à cebola e foram estes alimentos que a deixaram mais surpreendida. “Incluo o arroz muitas vezes na minha alimentação e a cebola, essa sim, uso diariamente na confecção dos alimentos, agora já percebo o porquê do meu mau estar. Este teste de facto é uma mais-valia, andamos a consumir alimentos que parecem inofensivos e no final podem justificar algum do nosso mau estar” referiu Mª Fernanda Ferreira.
Apesar desta intolerância evidente nem sempre o aconselhamento do Nutricionista passa por excluir o alimento: "muitas vezes pode bastar substituir o arroz branco pelo arroz integral, por exemplo", explica Virginia Marques dietista da Wellnutri. "cada pessoa é diferente e há sempre forma de ajustar a nossa alimentação, reduzido ou substituindo os alimentos aos quais somos intolerantes", acrescentou.

sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Como distinguir intolerância de alergia?

As alergias alimentares confundem-se frequentemente com intolerância alimentar e por essa razão importante saber distinguir os sintomas.A alergia alimentar é uma reação imunológica que ocorre após a ingestão ou contacto com um determinado alimento. As manifestações clínicas são geralmente imediatas. Na intolerância alimentar, o organismo não consegue digerir completamente algum grupo de alimentos, normalmente devido a uma deficiência enzimática do sistema digestivo, ou outro mecanismo desconhecido. Como consequência, são produzidas substâncias que o organismo reconhece como estranhas causando uma reação de sensibilidade alimentar

segunda-feira, 28 de Julho de 2014

A opinião da Nutricionista sobre as implicações da intolerância na perda de peso

"O teste de intolerâncias tem ajudado os pacientes a despistarem intolerâncias a certos alimentos que até à data desconheciam o seu grau de digestibilidade. Por conseguinte, a perda de peso consegue ser feita com um maior grau de sucesso.
Recomendo o teste, principalmente a pacientes com problemas de digestão crónica pois conseguem tornar as suas vidas bem mais facilitadas." 
Catarina Cunha, Nutricionista, autor
a do blog maisaude.blogs.sapo.pt

segunda-feira, 23 de Junho de 2014

Porque confundimos intolerância com alergia?



Reações físicas à comida são comuns. Quase sempre trata-se de intolerância, e não de alergia. Mas, como têm sintomas semelhantes, há confusão entre os males, o que pode atrasar o diagnóstico. Alergia é a resposta imunológica do organismo ao reconhecer algo que julga prejudicial e digno de combate. A intensidade depende da quantidade de substância “inimiga” ingerida. Resulta em comichão na pele, na garganta e nos olhos e inchaço no rosto, entre outros sintomas. Já a intolerância, é a incapacidade de metabolizar um alimento por deficiência ou ausência da enzima necessária para isso. Nesse caso, quanto mais comer o que faz mal, pior.

quinta-feira, 12 de Junho de 2014

Intolerância alimentar nas crianças



Mais comum do que a alergia alimentar e facilmente confundida com esta, não é uma reação alérgica, mas um efeito indesejável causado por um alimento. 

Cerca de 8% das crianças com menos de seis anos têm intolerância alimentar. Este problema, muito mais comum do que se pensa, pode definir-se como uma reação adversa desencadeada por um alimento ou ingrediente culinário. São vários os alimentos que provocam intolerância alimentar. Os mais frequentes são o leite, ovos, nozes, marisco, trigo, chocolate, porco, frango, tomate, fruta, queijo, levedura e aditivos.

Causas

- Libertação de histamina que produz sintomas semelhantes aos de uma alergia.

- Carência de enzimas responsáveis pela digestão de determinados alimentos.

- Consumo excessivo de alimentos ricos em substâncias com efeitos farmacológicos (cafeína, histamina, tiramina, triptamina ou serotonina).

- Reacção adversa aos aditivos presentes em alimentos processados.

Sintomas

Asma, rinite, obstrução nasal, dor abdominal, diarreia, urticária, eczema, acne, depressão, fadiga, enxaquecas, ansiedade e hiperactividade nas crianças são os mais comuns.

Fonte: Revista Prevenir